quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

PEDRO DU BOIS: POEMA


(Antonio Corpora)



CONHEÇO

Conheço da casa o centro
onde elementos se refazem
em versos. O som da verdade
e o conversar dos deuses aproximados.

Pertenço a ela e sou a constância
do pensamento linear das famílias
construídas no abafar das mágoas
em entrechoques diários: margens
do cerco ao futuro descompasso
de quem vai embora.

Sei da casa a hora derradeira dos encontros
e da chegada do estranho que me transforma:

a unidade rompida pelo estrangeiro
e a visão adiantada do progresso.

Tenho na casa a incerteza de um dia
ter estado junto e feliz.

Um comentário:

  1. Grato, Hilton, pelo destaque e pela ilustração.
    Abraços, Pedro.

    ResponderExcluir