domingo, 4 de março de 2012

SUSANNA BUSATO: POEMA


(Tàpies)


Pele nua  

Porque a tua
mão segura
ruptura de pele
e agulha
patrulha e segue
a minha insondável
nervura.

E porque nunca
antes tocada
a pele segura
se rasga
no paraíso e grava
língua sede e saga

Um comentário:

  1. Versos rápidos que ainda assim fazem-se lentos na dança.

    ResponderExcluir